Você está aqui: Página Inicial > Notícias da UFAC > 2018 > Pesquisa avalia potencial de cultivares de mamona no Vale do Juruá
conteúdo

Notícias

Pesquisa avalia potencial de cultivares de mamona no Vale do Juruá

publicado: 06/11/2018 11h37, última modificação: 06/11/2018 11h42

A Universidade Federal do Acre (Ufac), através do Núcleo de Agroecologia do Vale do Juruá e do Laboratório Solo - Planta -Atmosfera,  conduziu experimento de campo para avaliar o desempenho de quatro híbridos de porte anão de mamona (Ricinus communis L.) cultivados no Vale do Juruá.   

O trabalho foi realizado em cooperação com a Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" (Unesp Botucatu) que forneceu quatro cultivares, sendo dois híbridos nacionais e dois franceses. O experimento foi conduzido no campus floresta e as plantas foram cultivadas sob condições de adubação química convencional e cultivo agroecológico.

Para o professor Leandro da Cruz, que coordena o projeto, a pesquisa é importante para avaliar o potencial de uso de mamona na Amazônia. "Trata-se de uma espécie com uso promissor para nossa região, em especial para ser cultivada durante o período seco. É uma cultura interessante para o agricultor familiar", afirmou o pesquisador.

Pesquisa avalia potencial de cultivares de mamona no Vale do Juruá

A ação faz parte do projeto " Tecnologias agroecológicas de referência, educação profissional para conservação da sociobiodiversidade e formação participativa de recursos humanos para agroecologia na Amazônia Ocidental - Território da Cidadania do Vale do Juruá, Acre" que é financiado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico  (CNPq),  Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações(MCTIC), o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), o Ministério da Educação (MEC) e a Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário da Casa Civil da Presidência da República (SEAD). A Pró Reitoria de Pesquisa e Pós Graduação da UFAC também contribuiu com o trabalho.

Além do professor Leandro, participam do projeto os docentes Maria Marcia Sartori e Dr. Mauricio Zanotto (Unesp Botucatu), Eduardo Mattar e Márcio Martins (Ufac) e os discentes do curso de Agronomia Thiago Santos, Vagner Dias e Alexon Pereira.