Notícias

Guida Aquino pede apoio de bancada do Acre em Brasília

publicado: 15/05/2019 15h12, última modificação: 15/05/2019 15h12
fotocapamateriabrasilia.jpg

 Em luta pela única universidade pública acreana, a reitora Guida Aquino e o pró-reitor de Planejamento, Alexandre Hid, apresentaram nessa terça-feira, 14, em Brasília, para a bancada do Acre, os impactos do corte de 30% no orçamento da Ufac, pedindo apoio dos parlamentares para reverter a medida anunciada pelo governo federal.

Durante o encontro, Hid detalhou planilhas com os custos de manutenção da Ufac e o forte impacto causado no funcionamento da instituição pelo corte de R$ 15 milhões. Também explicou que a universidade havia reduzido custos no começo do ano. “Já começamos o ano com um deficit de R$ 5,7 milhões, por causa de reajustes de contratos, inflação, entre outros fatores.”

O valor para manter a instituição funcionando mensalmente é de R$ 2,750 milhões. “Com o corte, temos R$ 2,250 milhões por mês. Então temos um deficit mensal de R$ 500 mil”, informou o pró-reitor. “Com esse problema, não temos mais como continuar. No dia 31 de julho, quando termina o primeiro semestre letivo, a universidade fecha as portas caso esse corte anunciado pelo governo seja mantido.”

 Guida Aquino pede apoio de bancada do Acre em Brasília

Sem verbas, além da suspensão das aulas, serão cancelados contratos com empresas terceirizadas, o que vai impactar diretamente 350 postos de trabalho, o funcionamento do Restaurante Universitário e as ações de ensino nos municípios.  “Por isso, precisamos de união e de todo apoio possível, principalmente dos nossos parlamentares”, concluiu a reitora Guida Aquino.

Os deputados e senadores presentes confirmaram apoio à universidade e se comprometeram em acompanhar a reitora da Ufac com visitas ao Ministério da Educação (MEC) e ao Ministério da Economia. “Emergencialmente, o que pode ser feito? Já vi que a Ufac vem fazendo sua parte, cortando gastos”, disse o deputado Alan Rick (DEM). “Então, os parlamentares podem fazer pleitos. Efetivamente podemos ir ao MEC e lutar pela nossa universidade; também podemos apresentar nossas propostas.”

O senador Sérgio Petecão (PSD) ressaltou que a Ufac é nota 4, de uma escala que vai até 5, e uma das melhores da região Norte. “Eu quero que a nossa universidade alcance nota máxima e seja referência em todo o país.”

A deputada Perpétua Almeida (PCdoB) confirmou que vai lutar pela educação pública no Acre e expressou seu descontentamento com a política de cortes na educação do Brasil. “Eu discordo daqueles que, para justificar esses cortes do governo, como o ministro da Educação, passem a atacar as universidades públicas”, protestou. “Em outros anos, estaríamos discutindo a expansão da universidade pública; agora estamos discutindo se a universidade vai fechar.”

A reunião ocorreu na plenária 6 do Senado, com a participação dos deputados federais Alan Rick, Perpétua Almeida, Jéssica Sales (MDB), Vanda Milani (Solidariedade), Jesus Sérgio (PDT), Manuel Marcos (PRB) e Flaviano Melo (MDB); e dos senadores Sérgio Petecão, Márcio Bittar (MDB) e Mailza Gomes (PP).