Notícias

Ufac promove 1º Colóquio sobre Toxicologia no AC

publicado: 18/06/2019 10h41, última modificação: 18/06/2019 14h23
180620191.jpg

A Ufac realizou, por meio do Núcleo de Toxicologia Clínica e Analítica (Nutox), o 1º Colóquio de Toxicologia no Acre. O evento ocorreu entre sexta-feira, 14, e sábado, 15, no anfiteatro Garibaldi Brasil e no Centro de Convenções do campus-sede.

A programação do colóquio, distribuída em quatro mesas-redondas, visa à análise da situação atual e às perspectivas multidisciplinares do campo de toxicologia; faz parte de um plano para implantação do Centro de Assistência Toxicológica (Ceatox) no Estado. 

Participaram do colóquio profissionais da saúde, tanto do setor de emergência hospitalar quanto de saúde do trabalhador, estudantes de graduação e pós-graduação, de cursos na área de saúde e afins.  

Segundo o coordenador do evento, professor do Centro de Ciências da Saúde e do Desporto da Ufac, Dayan Marques, o colóquio integra um plano que consiste em conhecer a realidade da toxicologia no Acre; qualificar profissionais de emergência, como médicos e enfermeiros, para depois implantar o Ceatox. 

“Vamos criar um serviço de atendimento e informar o cidadão que existe um setor onde ele pode ligar, 24 horas por dia, quando for vítima de um animal peçonhento, intoxicação por planta ou substância química”, disse Dayan. “Foi a primeira vez que se falou em toxicologia em um evento que contou com a presença de muitos alunos de graduação. Tenho certeza que todos saíram com uma visão diferente sobre a importância do tema.”

O evento também contou com exposição de pesquisas em toxicologia, desenvolvida por diferentes instituições de ensino e de saúde local, além de discussões acerca das condutas na assistência à vítima de intoxicação e acidentes com animais peçonhentos, bem como a notificação desses agravos no Sistema de Informação de Agravos de Notificação, plataforma do Ministério da Saúde. 

O Nutox desenvolve ações e práticas em nível individual e coletivo, relacionado às substâncias químicas, toxinas de animais peçonhentos e plantas tóxicas, envolvendo promoção e vigilância da saúde e prevenção, diagnóstico e tratamento das intoxicações agudas e crônicas. 

Palestraram no evento representantes de órgãos públicos com interesse no tema: Secretaria Estadual de Saúde do Estado do Acre, Ministério Público Federal e Estadual, Corpo de Bombeiros, Serviço de Atendimento Móvel de Urgência e membros da Associação dos Trabalhadores Rurais, dentre outros.