Você está aqui: Página Inicial > Notícias da UFAC > 2019 > Operação Sórindo abre inscrições para integrantes
conteúdo

Notícias

Operação Sórindo abre inscrições para integrantes

publicado: 12/04/2019 16h19, última modificação: 12/04/2019 16h57

O projeto de extensão do curso de Medicina da Ufac, Operação Sórindo, busca novos integrantes. Conforme o edital, são dez vagas destinadas a estudantes de todos os períodos do curso. Os interessados devem enviar um e-mail com nome completo, período e número de matrícula para jborsoim@gmail.com até 2 de maio.

Como parte do processo de avaliação, no dia 4 de maio o candidato inscrito deve realizar uma apresentação teatral, musical ou de mágica, que será avaliada por uma banca. As apresentações podem ser feitas individualmente ou em grupo. A intenção, segundo os coordenadores do processo, é avaliar a compatibilidade com o projeto.

O projeto tem como principal atividade a visita a pacientes internados no Hospital da Criança. Todos os domingos, das 8h às 11h, os integrantes do grupo realizam brincadeiras, cantam e dançam, na tentativa de amenizar a dor e diminuir o estresse das crianças internadas. Eles trabalham para aumentar o campo de abrangência do projeto e atender, por exemplo, ao Hospital do Câncer.

O estudante do 11º período de Medicina, Mateus Reggiani, explica que, apesar de levar brincadeiras e diversão, existem algumas regras para não causar problemas no tratamento dos pacientes. “Para os novos integrantes, que estão chegando, vamos realizar workshops, até mesmo para saber como se portar, afinal de contas nossas ações acontecem em um hospital”, disse. “As crianças não entendem muito bem a doença, o motivo de elas estarem lá internadas; algumas estão há meses e aguardam nossa visita todos os domingos.” 

Segundo a estudante do 3º período, Jéssica Borsoi, as atividades são muito importantes para os alunos que estão iniciando a graduação, por ajudar em uma formação humanizada. “Promover esse contato dos alunos dos primeiros períodos de Medicina com pacientes, além da vivência no hospital, ajuda a termos um pouco mais de sensibilidade como futuros profissionais.”